16.8.17

A beleza do pós parto

Pós parto...
Esse momento filha da p#&% que parece demorar uma eternidade a passar!

Vamos a isso?
Tenho recebido algumas mensagens sobre o segredo de estar mais magra agora do que antes de engravidar... não se iludam! Eu saí da maternidade grávida de 6 meses e assim fiquei durante uns bons tempos. Há aquelas mulheres que 2 ou 3 semanas depois já estão a passear as suas barrigas do pós parto lisas e a pôr fotos com aquelas hashtags #postpartumbody #lovemyself #2weekspostpartum! Errr not my case! Aliás quem me dera na altura poder juntar-me a esse gang, mas eu estava mais no gang das que têm de usar a hashtag #notpregnantanymore #justfat.

Amamentei até aos 7 meses e foi por volta dessa altura que perdi o peso que ganhei na gravidez, 14 fucking quilinhos! Não acredito que foi isso que me fez emagrecer, aliás amamentar acho que só me engordou porque eu tinha uma fome dos diabos. Cheguei a achar que desmaiava de fome enquanto ele estava a mamar e a gritar em desespero que me acudissem e me trouxessem comida. No dia em que cheguei da maternidade repeti o prato 3x e foi aí que percebi que a coisa ia correr mal. Até porque não tinha voltado com muito peso a menos, só perdi 4kg, porque entre o puto ser mínimo e a minha placenta ser um pedaço mirrado que não deu para aguentar o miúdo cá dentro até ao fim... ainda havia muito peso para perder por isso talvez o ideal fosse fechar a boca. O ideal... não o que aconteceu!

Mesmo depois de ter perdido o peso continuava com a barriga inchada (muito devido a uma hérnia umbilical que fiz durante a gravidez e que agora percebo que estava a prejudicar a recuperação do meu corpo) e também com o corpo mais flácido que alguma vez tive. Como se não bastasse isso depois de ter parado de dar de mamar, já habituada ao meu silicone dos pobres, tudo mudou e no lugar desse silicone vieram 2 ameixas secas!
(Que ainda habitam a minha pessoa infelizmente. Digam que isto ainda muda, por favor...)

Então afinal como perdi o peso? Ora aqui está o 'segredo': 1 gastroenterite do Lucas que também apanhei e onde ficaram despachados 3 kg e depois uma recuperação da cirurgia da hérnia onde perdi outros 3. Moral da história? Acabei por ficar com menos 6kg do que tinha habitualmente.
Vá, na verdade quando engravidei já estava um bocadinho acima do meu peso...
Depois a flacidez foi combatida com treinos múltiplos a partir do momento em que o Lucas começou a andar. No Secret at all!

Também não sou aquela sortuda do hashtag #zeroestrias! Depois de um azar com o gel do CTG em que vi a barriga partir diante dos meus próprios olhos tive de me habituar a viver com cerca de 5 a 6 estrias a volta do umbigo. Caso para umas neuras depressivas nos primeiros meses, que depois passaram! Até porque a coisa atenuou. Talvez devido a 2 tratamentos de laser que fiz, talvez porque a minha cabeça começou a ver a coisa de maneira diferente. Who knows?!

Outro dos problemas deste belo pós parto? O cabelo! Que durante uma altura não parou de cair e que agora não pára de nascer, deixando-me literalmente de cabelos em pé com tanto babyhair descontrolado.

A cereja no topo do bolo: as horas de sono a dever ao corpo, as olheiras disfarçadas e aquela energia top que nos faz estar a babar as 10h da noite.
Tirando isto... (coisa pouca), o pós parto é a melhor cena do mundo!

A vocês que estão a passar por isso agora: não desesperem, que acabamos por encontrar a solução ideal para nós mesmas! Seja conseguir recuperar a forma, seja aprender a viver com as novas formas que ganhámos. E não se massacrem demasiado (falo eu agora depois de meses de auto tortura).
Uma coisinha já percebi para uma próxima. Não já pelo amor de Deus, que enquanto me lembrar desta noite não tenho ideias... mas como estava a dizer, numa próxima já sei o truque: o corpo do pós parto faz-se na gravidez! Essa é que é essa. É tão fácil descontrolar enquanto estamos grávidas, ou por uma questão de desconhecimento ou simplesmente porque temos a desculpa perfeita a habitar dentro de nós!

Mas para quem está nesta fase deste querido pós parto: força! Os meus pensamentos estão convosco! Se quiserem retribuir mandem aí um bocadinho do vosso inchaço peitoral,
Agradecida

Inchadinha mas feliz

10.8.17

Ser mãe é...

Ser mãe é viver com o coração fora do peito, é ser outro alguém, é viver outra vida... É doer na alma como nunca havíamos sentido, é sorrir a chorar... É acalmar quando dói! Ser mãe é mudar, é dormir de olho aberto, é dar colo, é amar sem medida... Ser mãe é dar abraços que curam, é ter preocupações eternas, é agir na impotência e ter um instinto maior do que a razão... Ser mãe é tudo isto! Ser mãe é ser-se maior! ✨


O texto é antigo, mas depois daquela que foi a pior noite de sempre do Lucas, que está a sofrer horrores com os 9 dentes que tem a nascer, acho que se enquadra e faz todo o sentido partilhar!

6.8.17

Lucas being Lucas

Sabemos que todos os miúdos têm uma fase de asneiras, mas quem conhece o Lucas sabe que ele tem a criatividade 'on point'.
Segue uma seleção dos melhores momento do último mês:

Lucas, the lord, a ver televisão dentro da banheira:

Lucas e o caso da garrafa de água entornada por cima do sofá

 Lucas e a sua má utilização do papel higiénico

 Lucas, o malabarista

Lucas, o destruidor das pilhas de roupa organizadas

Lucas a brincar às escondidas com os pais

E pronto: todos os dias nesta casa há novidades com este miúdo! Não se sintam sozinhas ok? Há concorrência à altura dos vossos.

4.8.17

A minha Poke Bowl

Para quem adora arroz e peixe cru esta receita é a ideal! Super fácil e rápida de fazer, é uma ótima sugestão para estes dias de verão e garante-vos um empratamento assim bonitinho, mesmo não percebendo nada do assunto (como eu).
A ideia aqui é usarem a vossa imaginação e o que tiverem lá por casa para criar a vossa taça. Vale tudo: salmão, atum, camarão, abacate, sementes, tomate, manga, pêssego, maçã e todas as frutas que preferirem...



Poke Bowl de salmão e manga

Ingredientes:
Receita para 2px
1 lombo de salmão
Arroz thai (1 copo)
Metade de uma manga madura
8 tomates cherry
Cebolinho, sementes, limão e soja a gosto

How to:
Colocam o arroz a cozer. Enquanto isso cortam o lombo de salmão em cubos e fazem uma marinada com muito limão, cebolinho e um pouco de soja. Deixam de parte.
Partem a manga e o tomate cherry.
Quando o arroz estiver pronto colocam no fundo da taça, por cima colocam o salmão e depois vão colocado ao lado os restantes ingredientes, neste caso a manga e o tomate. Por cima colocam as sementes (eu torrei-as um pouco numa frigideira), o cebolinho cortado e regam com soja a gosto.

É de babar! Prometo.

2.8.17

Movimento # as mães também querem comer

Se há coisas que os filhos nos ensinam é o poder de partilhar... assim que eles começam a comer o mesmo que nós começam as partilhas: sim, as de comida!
Eu já devia apelidar o meu filho de 'puto das becas' porque não posso comer nada sem ouvir um 'UHMMMM UHMMM DÁÁÁÁÁÁ'.
F*dasse puto mas não posso comer em paz?!

As mães, esse ser de sacrifício que já não pode fazer xixi em paz, fazer cocó em paz, tomar banho em paz, dormir em paz, também não pode, óbvio, comer em paz!

Mas porque raio será sempre a nossa comida mais apetitosa que a deles ou que a de qualquer outra pessoa ao nosso redor. É um fenómeno senhores, porque o pai da criança pode estar a comer o mesmo, mas ela vai sempre preferir pedir à mãe. E eu confesso: às vezes dou mesmo contrariada! É que normalmente eles só pedem quando nos está mesmo a saber bem... Acham que eles vos vão pedir algo quando fazem aquele lanchinho ou jantar sem graça? Claro que não.

É neste desespero que vos escrevo, porque eu quero comer UMA tosta e não meia ou 1/4 de tosta. Quero poder beber o meu sumo inteiro sem submarinos, quero comer a minha banana sem trincas pelo meio ou os meus cereais sem ter uma linguinha espetada à espera que lhe sirva mais uma colherada.

SIM, as mães também querem comer!
É que isto pensando bem está a tornar-se uma dieta muito restritiva: o meu puto tem uma energia louca, eu já passo o tempo todo a correr atrás dele e depois de todo esse exercício nem consigo repor os meus níveis porque ele come metade do que eu tinha planeado comer. Pronto: está revelado o meu segredo pós parto: correr, correr muito e ter vários ataques de coração (que isso também queima calorias para xuxu) e... não comer! Só que custa tanto... a sério kid, deixa a minha comida em paz!


via GIPHY

1.8.17

It's about time...

Depois da saída de fininho das queridas TC e MS e da minha paragem estratégica de mais de meio ano (só para sentirem saudades minhas e receber aquelas mensagens ao estilo: va lá... volta! que uma pessoa gosta sempre destas coisas) estava na hora de MUDAR!

E como sou pessoa de muitas valências o nome 'food, fashion & makeup' já não era suficiente para todo o universo de alarvidades que para aqui escrevo, e por isso decidi alterar o nome do blog.

"And other stuff" - esta é a minha nova casa! O nome não diz nada e diz tudo que é a base deste lugar: um sítio onde falo do que me apetece, sem pretensões de com isso fazer disto um lugar comum da blogosfera. Um blog principalmente para amigos mas também para quem quiser vir cá parar que eu sou pessoa de vos aceitar a todos.

Não se preocupem: quem tem o link antigo continuará a vir aqui parar que eu sou daqueles génios que percebe muito de informática e tecnologia e já pus o link a reencaminhar para o novo
(Basicamente fui ao google e fui parar a um tutorial no youtube que me explicou tudo)

Vamos a isso?


Pelo meio escrevo umas coisas, como muito, durmo menos do que gostaria, tenho amigos e família fixes, educo um filho e... pensando bem...
basicamente só me falta a árvore!